Nada é de graça. Para conseguirmos algo que queremos, precisamos abrir mão de outra coisa que gostamos. No nosso dia a dia temos que tomar decisões o tempo inteiro. Se queremos estudar 1 hora de um assunto, temos que abrir mão dessa 1 hora fazendo outra coisa.  Se queremos casar, temos que abrir mão de estar solteiro. Se queremos emagrecer, temos que abrir mão dos fast foods e por aí vai. Isto é trade off.

Trade off, trade-off ou tradeoff é uma expressão que define uma situação em que há conflito de escolha. Ocorre quando se abre mão de algum bem ou serviço distinto para se obter outro bem ou serviço distinto.

Quando se opta por realizar uma viagem de lazer, abre-se mão de investir aquele dinheiro, quando se opta por investir, abre-se mão da viagem. Quando você opta por jogar futebol em um determinado horário, automaticamente você renunciou a um período equivalente praticando outro esporte, ou lendo um livro, ou assistindo televisão, ou passeando com seus filhos, ou mesmo dormindo.

Trade off é uma decisão entre custos e benefícios. O ato de escolher uma coisa em detrimento de outra.

A escolha é uma, mas os bens renunciados tendem ao infinito. “Não, você não pode ter tudo.” – Mark Manson.

 

food-tradeoff

 

É impossível ter tudo! Se você quiser se dedicar ao hobby de andar de bicicleta, nesse tempo, necessariamente, você deixará de ler um livro, por exemplo. E como as alternativas para alocarmos nosso tempo são infinitas, simplesmente nos sentimos paralisados e não conseguimos tomar uma decisão final sobre uma determinada alocação (de tempo, de dinheiro, etc.).

Nas circunstâncias em que uma pessoa precisa escolher uma dentre duas ou mais opções conflitantes, ela elenca as vantagens de cada uma das opções e escolhe aquela que se apresenta como a melhor, sempre comparando o ganho inerente à opção escolhida com a recompensa ou ganho que receberia pela escolha da segunda melhor opção. Isso também pode ser chamado de custo de oportunidade.

“Custo de oportunidade é a relação básica entre a escassez e a escolha.” – James M. Buchanan

A expressão “custo de oportunidade” é utilizada com frequência no mundo dos negócios, mas também no cotidiano das pessoas. Mas o que é custo de oportunidade?

Custo de oportunidade é um benefício renunciado com uma escolha.

Ao entender que você não pode tudo, reconhecendo a existência do custo de oportunidade e do trade off, e reconhecendo as consequências de cada escolha, você terá melhores condições de vencer a angústia diante das decisões.

E, entendendo os trade offs da vida e o custo de oportunidade de cada escolha, perceberá o quão escasso é o nosso tempo, por exemplo, e verá que ter hábitos improdutivos (como vasculhar a vida alheia nas mídias sociais) tomam um tempo que poderia ser usado com hábitos mais saudáveis. Na pior das hipóteses, em um aeroporto ou na sala de espera de um consultório, você poderia estudar outra língua ou ler um livro por exemplo. (Se você for empreendedor, neste post dou dicas de livros, filmes e séries para você assistir).

 

TRADE OFF E A RELATIVIDADE – DECISÃO ENTRE CUSTOS E BENEFÍCIOS

Todo o ser humano tem uma tendência natural em relativizar tudo na vida. Devido à relativização não desenvolvemos a capacidade de pensarmos em termos absolutos, o que dificulta enxergarmos o custo de oportunidade.

Vamos a um exemplo:

Você precisa comprar uma caneta e uma impressora. No seu local de trabalho encontra a caneta por R$16 e lembra que a mesma caneta é vendida por R$1 numa loja a 15 minutos de distância. Da mesma forma, numa loja você encontra a impressora por R$500 e um cliente dessa loja diz que a mesma impressora numa outra loja a 15 minutos de distância está custando R$485. Qual sua escolha em cada situação?

 

trade offo relativo

 

A grande maioria das pessoas prefere comprar a caneta mais barata, por R$1 e a impressora mais cara, por R$500. Analisando, percebemos que perante o mesmo custo de oportunidade, isto é, a troca de 15 minutos do seu tempo para poupar R$15, este custo de oportunidade não é assumido em termos absolutos.

A nossa mente, inconscientemente, nos diz que comprar uma caneta por R$1 a 15 minutos de distância ao invés de a comprar por R$16 sem se deslocar, nos traz mais benefícios que comprar uma impressora por R$485 a 15 minutos de distância ao invés de o comprar por R$500 sem se deslocar, quando, em termos absolutos o ganho que obteria é exatamente de R$15 e o tempo que gastaria é exatamente o mesmo: 15 minutos.

Já tinha pensado nisso? O problema da relatividade, nos atrapalha a sermos mais eficientes. A todo momento nos deparamos com trade offs e precisamos analisar racionalmente cada opção afim de tomarmos melhores decisões.

Investir R$3.000 para patrocinar um evento para 200 pessoas público alvo da sua empresa ou investir os mesmo R$3.000 em marketing online no google adwords e no facebook ads? Investir em facebook ads ou no google adwords? Estes são trade offs clássicos que me deparo todos os dias em ações de marketing do IESPE e do 3255 Coworking por exemplo.

Outro trade off que acho interessante e que alguns clientes me relatam com frequência é o trade off “atacado x varejo”. Vamos ao exemplo:

Produzo um produto que o custo total dos insumos (sem mão de obra) sai a R$10. No varejo, consigo vender o produto a R$30 a unidade. Já no atacado, consigo vender 100 produtos a R$1.100.

O trade off aqui está na decisão: produzir e vender 100 produtos no atacado e “lucrar” R$100 ou produzir e vender 5 produtos no varejo e “lucrar” os mesmos R$100?

Neste caso a relatividade nos atrapalha novamente, pois ficamos muito mais felizes por vender 100 produtos e faturar R$1.100 do que vender 5 e faturar apenas R$150. Porém, esquecemos que temos que produzir estes 100 produtos e, portanto, devemos incluir o valor da mão de obra como custo do produto (por isso coloquei o lucrar entre aspas).

Então temos novamente um trade off: gastar 10 horas para produzir 100 produtos para uma venda ou gastar meia hora para produzir 5 produtos e as outras 9,5 horas para captar novos clientes? Você decide!

Devemos entender que as escolhas estão presentes no dia a dia de qualquer pessoa. Quer seja um empresário capitalista ou um monge Zen Budista.

Não se pode viver sem realizar escolhas, sem enfrentar os dilemas do trade off.

Mesmo quando optamos por não tomar decisão (manter a posição de neutralidades), estamos realizando trade off.

 

TRADE OFF FINANCEIRO

Quando falamos de investimento, o principal trade off que um investidor realiza é o risco x retorno. No geral, quanto maior o retorno, maior o risco. Quando saímos da renda fixa e entramos na renda variável, estamos enfrentando um trade off. Estamos trocando a menor incerteza (volatilidade) e menor retorno por mais incerteza (volatilidade) em busca de maior retorno. Isto é trade off.

 

risco x retorno

 

 

O custo de alguma coisa é aquilo que você desiste para obtê-la.

Como todos nós enfrentamos trade offs, a tomada de decisão exige comparar os custos e benefícios de possibilidades alternativas de ação. Nada é perfeito. Nem precisa ser, basta ser melhor do que as suas alternativas. A célebre frase que diz: “mais vale um pássaro na mão do que dois voando“ é um exemplo típico. Você pode ficar com 1 pássaro (menor retorno) que já está na sua mão (menor risco) ou tentar pegar (maior risco) os outros 2 (maior retorno) que estão voando. Está aí mais um exemplo de trade off.

 

TRADE OFF COMO ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

Uma das mais clássicas decisões estratégicas de competitividade empresarial é a decisão de ser competitivo por preço ou por diferenciação. O trade off aqui está em solucionar esta pergunta: Vamos possuir serviços de luxo ou serviços econômicos?

Trade off estratégico é a decisão de longo prazo que a empresa deve adotar. Por exemplo, vender produtos caros sabendo que o concorrente de menor preço terá maior fatia de mercado. O trade off, neste caso, é não atender estes clientes, que buscam menor preço e perder fatia de mercado (market share) para o concorrente. A empresa então está abrindo mão em ter a maior participação no mercado, o que não quer dizer que obteve menor rentabilidade. É bem parecido com o caso que citei acima do trade off “atacado x varejo”.

Melhorar e padronizar os processos, analisar os desperdícios, focar nos clientes, adquirir tecnologia e equipamentos, ou capacitar os colaboradores, são decisões de trade off que gestores tomam todos os dias.

 

TRADE OFF NA ECONOMIA

Trade off é o primeiro princípio da economia.

Um casal quando decide como gastar sua renda familiar, entra em um dilema de trade off. Eles podem comprar comida, roupas ou pagar uma viagem para a família. Ou podem poupar parte da renda para sua aposentadoria ou pagar a faculdade dos filhos. Quando decidem gastar um real a mais em qualquer uma dessas coisas, têm um real a menos para gastar em outras coisas.

 

collaboration desk

 

Reconhecer os trade offs em nossa vida é importante porque as pessoas somente podem tomar boas decisões se compreendem as opções que lhes estão disponíveis.

E como diria Benjamin Franklin: “A pior decisão é a indecisão!” e “São nos momentos de decisão que seu destino é decidido.” – Anthony Robbins

Bom, escrevi este artigo apenas para dizer resumidamente que:

“Toda decisão que você toma – toda decisão – não é uma decisão sobre o que você faz. É uma decisão sobre quem você é. Quando você vê isso, quando você entende isso, tudo muda. Você começa a ver a vida de um modo novo. Todos eventos, ocorrências e situações se transformam em oportunidades para fazer o que você veio fazer aqui.” – Neale Donald Walsch

Ou seja, tenha um propósito de vida, e faça escolhas baseadas neste propósito. Você verá que suas decisões passarão a ser muito mais fáceis. Já dizia Bob Marley: “Todo homem tem direito de decidir seu próprio destino.”

 escolhas

 

Ah, e para ajudá-lo (a) a tomar melhores decisões e fazer boas escolhas, segue um roteiro de perguntas criado pela Adriana de Araújo em seu blog que acho que irão facilitar suas escolhas.

 

 

COMO COMEÇAR A SOLUCIONAR SUAS DÚVIDAS NA TOMADA DE DECISÃO

1- O que você quer?
Tenha bem claro o que é importante para você. Respeite sua opinião. Se não sabe o que quer fica muito difícil escolher. Mais uma vez uma questão de propósito.

2- Quais são suas opções para realizar seu desejo?
Às vezes, recebemos duas propostas de trabalho, opções de mudança de cidade, de relacionamento, de escola, etc.

3- Avalie individualmente suas opções
O que se ganha em cada uma delas e também o que se perde. Lembre-se que ao escolher um caminho você ganha tudo o que esse caminho pode oferecer, mas os outros que não foram escolhidos não poderão proporcionar a você o que eles ofereciam. Toda escolha traz ganhos do que se escolheu e também perda do que se deixou de escolher.

4- Quais serão as consequências de cada opção?
Importante lembrar que ao escolher você terá consequências, tanto ganhos quando perdas. Aceitar isso é fundamental.

5– Faça uma lista de prós e contras
Ao finalizar essa lista, escreva de 0 a 3 por exemplo (sendo zero em menor importância e três sendo muito importante), ou seja, avalie o quanto cada item tem importância (qualifique os prós e contras) e não apenas a quantidade.

 

“Cada escolha uma renúncia isso é a vida.” – Charlie Brown Jr

 

E aí, quais os trade offs da sua vida? Qual possui maior dificuldade em tomar uma decisão? Compartilhe comigo e com os leitores comentando abaixo e quem sabe não podemos ajuda-lo (a). E se gostou, compartilhe com seus amigos.

Nos vemos no próximo post. Abraços!